ESTUDO DE CASO À LUZ DA PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA SOBRE O FILME “EXTRAORDINÁRIO”: ANÁLISE DA AUTOESTIMA DO PERSONAGEM AUGGIE PULLMAN

Palavras-chave: Autoestima. Família. Psicologia sócio-histórica.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de analisar o processo de construção da autoestima do protagonista Auggie Pullman do filme “O extraordinário”, através de uma pesquisa qualitativa, do tipo estudo de caso e baseada na teoria da Psicologia Sócio-Histórica. Com estas metodologias verificou-se que o processo de instituição da autoestima do garoto se realiza a partir da predominância de comportamentos positivos, oriundos sobretudo da família: contribuindo para um desenvolvimento satisfatório dos processos de internalização de acordo com o repertorio histórico cultural do seu próprio meio. Neste enfoque, concluímos que os marcadores sociais que influenciam na autoestima de Auggie é primeiro a sua família e de maneira assistente o contexto escolar apenas sinalizado no trabalho sem maior foco. Porém, observamos que mesmo na ocorrência de comportamentos positivos, somam também os negativos, que impactam no processo de construção da autoestima de Auggie, o que se verifica ao mesmo tempo que a família e entre outros marcadores sociais podem contribuir assertivamente, por outro lado, também podem colaborar negativamente.

Biografia do Autor

Ana Luiza Machado Fulaneti, Faculdade Católica Dom Orione, Araguaína, TO, Brasil

Graduanda no curso de Psicologia na Faculdade Católica Dom Orione- FACDO/BRASIL

Maycon Douglas Silva Ribeiro, Faculdade Católica Dom Orione, Araguaína, TO, Brasil

Graduando no curso de Psicologia na Faculdade Católica Dom Orione- FACDO/BRASIL

Referências

DESSEN, M. A; POLONIA, A.C. A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paidéia, v.17, n.36, p. 21-32, 2007.

FREITAS, M. T. As apropriações do pensamento de Vygotsky no Brasil: um tema em debate.
Psicologia da educação. São Paulo, n. 10/11, p. 9-28, 2000.

GODOY, A. A. Pesquisa qualitativa: Tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 35, n.3, p. 20-29, jan, 1995.

JOENK, I.K. Uma Introdução ao pensamento de Vygotsky. Revista Linhas, v. 3, n. 1, p.1-12, 2007.

LUCCI, M. A. A proposta de Vygotsky: a psicologia sócio-histórica. Revista Profesorado. v. 10, n. 2, p. 1-11, 2006.

ANE, S.T.M. Como nos tornamos sociais. In: . O que é psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 2014. p. 37-84, 87 p.

MOLON, S. I. Entrelaçando a psicologia e a educação: uma reflexão sobre a formação continuada de educadores à luz da psicologia sócio-histórica. Revista Contrapontos. n. 5. p. 237-250, 2002.

NEVES R. A.; DAMIANI M. F. Vygotsky e as teorias da aprendizagem. UniRevista, v. 1, n. 2, p. 1-10, abril, 2006

PINO, A. S. O conceito de mediação semiótica em Vygotsky e seu papel na explicação do psiquismo humano. Cadernos Cedes, Campinas, n. 24, p. 32-43, mar. 1991.

REGO, T. C. A cultura torna-se parte da natureza humana. In: . Vygotsky: Uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. p. 37-84. 138 p.

ROCHA, N. M. A autoestima x autoconceito. In: ROCHA, N.M. A autoestima como um dos fatores determinantes do aprendizado da criança. Brasília: Centro Universitário de Brasília, p. 24-24. 2003.

SARTI, C. A. A família como ordem simbólica. Psicologia USP, v.15, n.3, p. 11-28, 2004.

SILVA, M. C; CHAVEIRO, E. F. Demografia e família: as transformações da família no século XXI.
B. Goiano Geografia, v.29, n.2, p. 171-183, jul-dez, 2009.

SUELLEN, M. S. Reconfiguração do conceito de família no século XXI: Os desafios das famílias homoparentais. Orientador: Maurício Capela. 2016. 124 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Comunicação Social - Jornalismo) - Universidade de Santo Amaro, São Paulo, 2016.

VYGOTSKY, L.S. A Formação Social da Mente. 4ed. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1991. 90 p. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3317710/mod_resource/con tent/2/A%20formacao%20social%20da%20mente.pdf Acesso em: 07 jan. 2021.

VIGOTSKI, L. S. Criação e imaginação. In:_ . Imaginação e Criação na Infância. 1ed. São Paulo: Expressão popular, 2018. p.13-19.

VIGOTSKY, L. S. Introducion: The fundamentals of problems defectology. In:_ . The collected works of L. S. Vygotsky: the fundamentals of defectology (abnormal psychology and learning disabilities). v.2. New York: Plenum, 1993. p. 30-30. Disponível em: https://www.springer.com/gp/book/9780306424427 Acesso em: 18 nov. 2020.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamentos e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.
Publicado
2021-08-31