HEUTAGOGIA: o ensino superior no Brasil e o mercado de trabalho

higher education in Brazil and the job market

Palavras-chave: Heutagogia, Ensino superior, Mercado de trabalho

Resumo

A aprendizagem vislumbra muitos caminhos a serem percorridos do professor até o aluno e vice-versa. Esta relação se entrelaça de tal forma que se deparam com situações comuns de dificuldade para sua reflexão. A heutagogia é um modelo de processo de aprendizagem muito difundido atualmente, principalmente quando se popularizou a educação a distância, modificando a vida social e as práticas de ensino quanto à proximidade do docente e do discente. As especificações cotidianas de entendimento de aprendizagem ultrapassam o material didático para se autogerenciarem. Este artigo teve como objetivo entrelaçar heutagogia, ensino superior e necessidades do mercado de trabalho no contexto brasileiro, dando um panorama da educação a distância e as preocupações que este estilo de aprendizagem traz. Uma revisão sistemática de artigos foi utilizada como metodologia de pesquisa a partir dos termos heutagogia, ensino superior e mercado de trabalho. Foram detectados 5 artigos sobre a temática que mostraram que a heutagogia está relacionada ao ensino superior a distância, conseguindo reaproximar as pessoas à universidade, com rapidez, flexibilidade e aplicabilidade imediata, principalmente para os trabalhadores. A globalização trouxe para o contexto brasileiro muitos desafios e a necessidade de velocidade o que levou a expansão desta aprendizagem principalmente para dentro da universidade que precisará se aprimorar para ensinar e produzir conhecimento científico e cultural inovador.

Biografia do Autor

Renata Coentrão Marques, Universidade Católica de Petrópolis (UCP)

Psicologia (UFF) e Letras (UNESA); Mestre em Psicologia (UCP); Especialista em Psicossomática e Cuidados Transdisciplinares com o Corpo (UFF) e Especialista em Desenvolvimento Infantil (Sociedade Pestalozzi)

Referências

AKHMETSHIN, E. M. et al. Entrepreneurial skills development through distance learning. Journal of Entrepreneurship Education, [S.l.], v. 22, n. 1S p. 1-10, 2019. Disponível em: https://www.abacademies.org/articles/entrepreneurial-skills-development-through-distance-learning-7967.html. Acesso em: 3 dez. 2019.

ALMEIDA, M. E. B. Educação a distância na internet: abordagens e contribuições dos ambientes digitais de aprendizagem. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 327-340, jul./dez. 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-97022003000200010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 2 dez. 2019.

ANDERSON, T.; DRON, J. Three generations of distance education pedagogy. International Review of Research in Open and Distance Learning, [S.l.], v. 12, n. 3, p. 80-97, Mar. 2011. Disponível em: http://www.irrodl.org/index.php/irrodl/article/view/890. Acesso em: 3 dez. 2019.

ARGYRIS, C.; SCHÖN, D. A. Theory in practice: increasing professional effectiveness. San Francisco: Jossey Bass, 1974.

BALBACHEVSKY, E.; SAMPAIO, H.; ANDRADE, C. Y. Expanding access to higher education and its (limited) consequences for social inclusion: the brazilian experience. Social Inclusion, [S.l.], v. 7, n. 1, p. 7-17, 2019. Disponível em: https://www.ssoar.info/ssoar/bitstream/handle/document/61103/ssoar-socialinclusion-2019-1-sampaio_et_al-Expanding_access_to_higher_education.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 3 dez. 2019.

BANGURA, A. K. Ubuntugogy: an African educational paradigm that transcends pedagogy, andragogy, ergonagy and heutagogy. Journal of Third World Studies, [S.l.], v. 22, n. 2, p. 13-18, Sep. 2005.

BARNETT, R. Conditions of flexibility: securing a more responsive higher education system. New York: HEA, 2014.

BARNETT, R. The coming of the ecological university. Oxford Review of Education, [S.l.], v. 37, n. 4, p. 439-455, 2011.

BARNETT, R. A will to learn: being a student in an age of uncertainty. Maidenhead: McGraw Hill/OUP, 2007.

BAPTISTA, M. N. M. M. S. O professor – tutor: perfil e funções. Poiésis, Tubarão, v. 4, n. 7, p. 145-155, jan./jun. 2011.

BELLAN, Z. Heutagogia: aprenda a aprender mais e melhor. Santa Bárbara d’Oeste: Z3 Ideias, 2008.

BEVILAQUA, S.; PELEIAS, I. R. “Em vez de dar o peixe, ensine a pescar”: a heutagogia e a sua relação com os métodos de aprendizagem em cursos EaD no Brasil. In: Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade, 4., 2013, Brasília, DF. [Anais] Brasília, DF: EnEPQ, 2013. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/EnEPQ148.pdf. Acesso em: 3 dez. 2019.

BIELSCHOWSKY, C. E. Qualidade na educação superior a distância no Brasil: onde estamos, para onde vamos?. Revista EaD em Foco: Revista Científica em Educação a Distância, [S.l.], v. 8, n. 1, p. 01-26, 2018. Disponível em: http://abed.org.br/arquivos/qualidade_educacao_superior_distancia_carlos_biel_abr_2018.pdf. Acesso em: 4 dez. 2019.

BLASCHKE, L. M.; HASE, S. Heutagogy and digital media networks: setting students on the path to lifelong learning. Pacific Journal of Technology Enhanced Learning, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 1-14, 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/333942664_Heutagogy_and_digital_media_networks_Setting_students_on_the_path_to_lifelong_learning. Acesso em: 4 dez. 2019.

BLASCHKE, L. M. Heutagogy and lifelong learning: a review of heutagogical practice and self-determined learning. The International Review of Research in Open and Distributed Learning, [S.l.], v. 13, n. 1, p. 56-71, Jan. 2012. Disponível em: http://www.irrodl.org/index.php/irrodl/article/view/1076. Acesso em: 4 dez. 2019.

BRASIL. Lei n°. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 3 dez. 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução n°. 1, de 8 de setembro de 2007. Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação lato sensu, em nível de especialização. Brasília, DF: Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, 2007. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Res_CES_001_2007_06_08.PDF. Acesso em: 4 dez. 2019.

BRASIL. Resolução CNE/CES n°. 1, de 3 de abril de 2001. Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF: 9 abr. 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/CES0101.pdf. Acesso em: 4 dez. 2019.

BURGSTAHLER, S. Universal design in education: principles and applications. Seattle: University of Washington, 2009.

CANNING, N.; CALLAN, S. Heutagogy: spirals of reflection to empower learners in higher education. Reflective Practice, [S.l.], v. 11, n. 1, p. 71-82, 2010.

CANNING, N. Playing with heutagogy: exploring strategies to empower mature learners in higher education. Journal of Further and Higher Education, [S.l.], v. 34, n. 1, p. 59-71, 2010.

CARR, W.; KEMMIS, S. Becoming critical: education, knowledge and action research. London: The Palmer Press, 1986.

CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

CASTRO, R. F. Autorregulação da aprendizagem no ensino superior a distância: o que dizem os estudantes? REBES: Revista Brasileira de Ensino Superior, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 15-26, abr./jun. 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/308041216_Autorregulacao_da_Aprendizagem_no_Ensino_Superior_a_Distancia_O_que_Dizem_os_Estudantes. Acesso em: 2 dez. 2019.

CHERMANN, M.; BONINI, L. M. Educação a distância: novas tecnologias em ambientes de aprendizagem pela internet. São Paulo: Universidade Braz Cubas, 2000.

DEAQUINO, C. T. E. Como aprender: andragogia e as habilidades de aprendizagem. São Paulo: Pearson, 2007.

ESMERALDO, L. R. A.; LIMA, J. C. F. Autonomia e internet: binômio necessário para o curso a distância de tecnologia em hotelaria do IFCE. Conexão, Ciência e Tecnologia, Fortaleza, CE, v. 12, n. 3, p. 40-51, dez. 2018.

FARIA, M. A.; SILVA, R. C. S. Ead: o professor e a inovação tecnológica. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, São Paulo, v. 6, p. 1-8, dez. 2007. Disponível em: http://seer.abed.net.br/edicoes/2007/2007_EaD_o_professor_e_a_inovacao_Monica_Faria.pdf. Acesso em: 4 dez. 2019.

FERNANDES, E. et al. Educational data mining: predictive analysis of academic performance of public school studentes in the capital of Brazil. Journal of Business Research, [S.l.], v. 94, p. 335-343, Jan. 2019.

FISCHER, B. B.; SCHAEFFER, P. R.; VONORTAS, N. S. Evolution of university-industry collaboration in Brazil from a technology upgrading perspective. Technological Forecasting & Social Change, v. 145, p. 330-340, Aug. 2019.

GODOI, M. A.; OLIVEIRA, S. M. S. S. O perfil do aluno da educação a distância e seu estilo de aprendizagem. Revista EaD em Foco: Revista Científica em Educação a Distância, v. 6, n. 2, p. 76-91, 2016. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/383. Acesso em: 3 dez. 2019.

GÓIS, L. S.; RIBEIRO, M. M.; MOTA, L. M. Educação para o mercado: ideário capitalista que conforma a educação profissional brasileira. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v.19, p.1-20, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8654528/21043. Acesso em: 3 dez. 2019.

GONZALEZ, M. Fundamentos da tutoria em educação a distância. São Paulo: Avercamp, 2005.

GORZ, A. O imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Anablume, 2005.

GOZZI, M. P.; KENSKI, V. M. Cursos online de especialização na estrutura da pós-graduação no Brasil. Eccos: revista científica, [S.l.], n. 39, p. 87-100, jan./abr. 2016.

GRAU-VALLDOSERA, J.; MINGUILLÓN, J.; BLASCO-MORENO, A. Returning after taking a break in online distance higher education: from intention to effective re-enrollment. Journal Interactive Learning Environments, v. 27, n. 3, p. 307-323, 2019.

GUIMARÃES, I. J. B.; SOUSA, M. R. F.; LIMA, I. F. Educação a distância como ferramenta de inclusão social e digital: um estudo de caso com alunos da UFPBVIRTUAL. Encontro Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 24, n. 56, p. 1-19, set./dez. 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/335710793_Educacao_a_distancia_como_ferramenta_de_inclusao_social_e_digital. Acesso em: 4 dez. 2019.

HALILI, S. H. Technological advancements in education 4.0. The Online Journal of Distance Education and e-Learning, [S.l.], v. 7, n. 1, p. 63-69, Jan. 2019. Disponível em: http://www.tojdel.net/journals/tojdel/articles/v07i01/v07i01-08.pdf?report=reader. Acesso em: 4 dez. 2019.

HALSALL, J. P.; POWELL, J. L.; SNOWDEN, M. Determined learning approach: implications of heutagogy society based learning. Journal Cogent Social Sciences, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 1-11, 2016. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/23311886.2016.1223904?scroll=top&needAccess=true. Acesso em: 2 dez. 2019.

HASE, S.; KENYON, C. Self determined learning: heutagogy in a action. London: Bloomsbury, 2013.

HASE, S.; KENYON, C. Heutagogy: a child of complexity theory. Complicity: An International Journal of Complexity and Education, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 111-118, 2007.

HASE, S.; KENYON, C. From andragogy to heutagogy. Melbourne: RMIT, c2000. Disponível em:https://webarchive.nla.gov.au/awa/20040812230212/http://pandora.nla.gov.au/pan/10088/20020813/ultibase.rmit.edu.au/Articles/dec00/hase2.htm. Acesso em: 2 dez. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopses estatísticas da educação superior: graduação. Portal INEP, Brasília, DF, 20 de outubro de 2015. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 2 dez. 2019.

JERÔNIMO, I. C. Os sujeitos e suas representações: a educação a distância e os dizeres dos alunos acerca da modalidade. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 47, n. 3, p. 744-757, 2018. Disponível em: https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/1945/1402. Acesso em: 2 dez. 2019.

JONES, C.; PENALUNA, K.; PENALUNA, A. The promise of andragogy, heutagogy and academagogy to enterprise and entreneurship education pedagogy. Education + Training, [S.l.], v. 61, n. 9, p. 1170-1186, 2019. Disponível em: https://repository.uwtsd.ac.uk/1130/. Acesso em: 2 dez. 2019.

JAZEEL, A. M. Efectiveness of heutagogy integrated e-content modules on understanding osmosis among science studentes in colleges of education in Sri Lanka. International Educational Applied Scientific Research Journal, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 36-39, Oct. 2016. Disponível em: http://ieasrj.com/journal/index.php/ieasrj/article/view/12. Acesso em: 3 dez. 2019.

KERRY, T.; MAYES, A. S. Issues in mentoring. London: Routledge, 1995.

KUCHARSKI, M. V. S.; BASSO, V. H. Estudo da evasão no curso de especialização em tecnologias, comunicação e técnicas de ensino da UAB – UTFPR. Revista Intersaberes, [S.l.], v. 11, n. 23, p. 346-363, mai./ago. 2016. Disponível em: https://www.uninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/1041. Acesso em: 2 dez. 2019.

KNOWLES, M. S. Andragogo versus pedagogo. USA: Association Press, 1990.

KNOWLES, M. The adult learner: a neglected species. Madison: American Society for Training and Development, 1973.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning: legitimate peripheral participation. New York: Cambridge University Press, 1991.

LEE, K.; CHOI, H.; CHO, Y. Becoming a competent self: a developmental process of adult distance learning. The Internet and Higher Education, [S.l.], v. 41, p.1-16, Apr. 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/329788769_Becoming_a_competent_self_A_developmental_process_of_adult_distance_learning. Acesso em: 3 dez. 2019.

LI, W. et al. Interactive relationships between industrial, urban, agricultural, information and green development. Energy & Environment, [S.l.], v. 30, n. 6, p. 991-1009, 2019.

LITTO, F. M.; FORMIGA, M. M. M. Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

MAMEDE, W.; ABBAD, G. S. Objetivos educacionais de um mestrado profissional em saúde coletiva: avaliação conforme a taxonomia de Bloom. Educação & Pesquisa, São Paulo, v. 44, p. 1-21, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-97022018000100309&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 2 dez. 2019.

MANN, S. et al. Designing for heutagogy: na independent learning pathway approach. Scope: Flexible Learning, v. 2, p. 59-70, 2007-2017. Disponível em: https://www.thescopes.org/assets/Uploads/b525f63386/SCOPE-Flexible-Learning-2-Web-11-Mann-etal.pdf. Acesso em: 4 dez. 2019.

MAY, T.; POWELL, J. L. Situating social theory. Maidenhead: McGraw Hill, 2008.

MEDEIROS, M. F.; FARIA, E. T. Educação a distancia: cartografias e movimento. Porto Alegre: EDICURPRS, 2003.

NASCIMENTO, J. P. R.; VIEIRA, M. G. Os desafios da institucionalização do ensino superior na modalidade a distância: a visão dos gestores de uma universidade federal. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 24, n. 91, p. 308-336, abr./jun. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40362016000200308&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 3 dez. 2019.

PINHO, J. C. et al. Acesso e qualidade das pós-graduações ofertadas por meio da educação a distância (ead). Competência: Revista de Educação Superior do Senac – RS, [S.l.], v. 12, n. 1, p. 01-10, jul. 2019. Disponível em: http://seer.senacrs.com.br/index.php/RC/article/view/697. Acesso em: 3 dez. 2019.

ROGERS, C. Client-centred therapy: its current practice, implications and theory. London: Constable, 1951.

SCAGLIONE, V. L. T.; MEYER JÚNIOR, V.; MAMÉDIO, D. F. Improvisation in higher education management: coping with complexity and organizational dynamics. Global Journal of Flexible Systems Management, [S.l.], v. 20, p. 291-302, 2019.

SILVA, M. L.; SOUSA, R. A. D. Trabalho e educação no contexto do ensino superior e a formação do assistente social. RIAEE: Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 2, p. 559-572, abr./jun. 2019. Disponível em: http://oaji.net/articles/2020/8101-1598330287.pdf. Acesso em: 3 dez. 2019.

SNOWDEN, M.; HALSALL, J. Community development: a shift in thinking towards heutagogy. International Journal of Multi Disciplinary Comparative Studies, [S.l.], v. 1, n. 3, p. 81-91, 2014. Disponível em: http://eprints.hud.ac.uk/id/eprint/24758/. Acesso em: 4 dez. 2019.

SNOWDEN, M.; HARDY, T. Peer mentorship and positive effects on student mentor and mentee retention and academic success. Widening Participation and Lifelong Learning, v. 14, p. 76-92, Winter 2012. Disponível em: http://eprints.hud.ac.uk/id/eprint/16921/. Acesso em: 4 dez. 2019.

SOUZA, S. S. S.; ARAGON, G. T. Estilos de aprendizagem e ensino a distância na perspectiva da inclusão. Revista EaD em Foco: Revista Científica em Educação a Distância, [S.l.], v. 8, n. 1, p. 1-11, jun. 2018.

STEPHENSON, J.; YORKE, M. Capability and quality in higher education: teaching and learning in higher education. London: Kogan Page, 1998.

STURMER, G. et al. Perfil dos profissionais da atenção primária à saúde, vinculados ao curso de especialização em saúde da família UMA-SUS no Rio Grande do Sul. Revista Conhecimento Online, Novo Hamburgo, ano 12, v. 1, p. 4-26, jan./abr. 2020. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/338353478_PERFIL_DOS_PROFISSIONAIS_DA_ATENCAO_PRIMARIA_A_SAUDE_VINCULADOS_AO_CURSO_DE_ESPECIALIZACAO_EM_SAUDE_DA_FAMILIA_UNA-SUS_NO_RIO_GRANDE_DO_SUL. Acesso em: 2 dez. 2019.

SWAN, K. Virtual interaction: design factors affecting student satisfaction and perceived learning in asynchronous online courses. Distance Education, [S.l.], v. 22, n. 2, p. 306-331, 2001. Disponível em: https://www.american.edu/library/technology/blackboard/upload/swan-article.pdf. Acesso em: 2 dez. 2019.

VELETSIANOS, T. Emerging technologies in distance education. Edmonton: Athabasca University Press, 2010.

ZUENZER, A. Z. Conhecimento e competências no trabalho e na escola. Boletim Técnico do SENAC, [S.l.], v. 28, n. 2, p. 1-10, mai./ago. 2002. Disponível em: http://www.bts.senac.br/index.php/bts/article/view/539. Acesso em: 4 dez. 2019.

WARMLING, D. et al. Aproximando saberes e experiências à distância: relato da tutoria de um curso de especialização. Revista Salud Pública, [Bogotá], v. 20, n. 1, p. 132-137, 2018. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0124-00642018000100132&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 3 dez. 2019.
Publicado
2021-03-01