GERAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS E VAZÃO DE ESGOTO DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19 EM UMA RESIDÊNCIA NO SUL DE MINAS GERAIS

Palavras-chave: Hábitos, Geração Per capta, Resíduos sólidos domiciliares, Esgoto doméstico

Resumo

A doença causada pelo Coronavírus SARS-CoV-2 foi declarada como pandemia pela OMS e uma das medidas mais eficazes é o isolamento social, tendo grande importância o saneamento. Assim, objetivou-se realizar a composição gravimétrica dos resíduos sólidos, bem como estimar a quantidade de vazão de esgoto e a geração per capta, em época de pandemia em uma residência de Três Corações – MG.  Para a caracterização quantitativa separou-se os resíduos em 7 categorias, que foram pesados separadamente todos os dias, para diagnosticar a porcentagem em peso, com o auxílio de uma balança doméstica. Para a quantificação da geração de esgoto, foram observados os hábitos em atividades domésticas e higiene pessoal. As atividades foram quantificadas pelo método volumétrico por um recipiente de 5 litros. Estimou-se o valor total de consumo de água e como coeficiente de Retorno de 80% estimou-se a vazão de esgoto gerada. Foi realizado a vazão per capta de esgoto na residência. Os hábitos domiciliares foram afetados pela pandemia, influenciando em uma maior geração de resíduos, no qual foram observadas no final de semana, sendo a maior quantidade para os resíduos orgânicos (67%), 28% de recicláveis e 5% de rejeito e quantidade diária de 465g por dia, abaixo da média nacional. As maiores vazões foram observadas para a bacia sanitária.  A constância de atividades durante a pandemia e a mudança de hábitos representou 87%. A geração per capta de efluentes gerados foi de 87,14L abaixo da geração dos últimos 12 meses, refletindo a mudança de hábitos dos indivíduos na residência.

Biografia do Autor

Eunice Musa Neves dos Santos, UNINCOR

Graduando em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações (UNINCOR), MG, Brasil

Rosângela Francisca de Paula Vitor Marques, UNINCOR

Doutorado e Mestrado em Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), MG, Brasil. Graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), MG, Brasil.

Charles da Silva Alvim, UNINCOR

Mestrando em Sustentabilidade em Recursos Hídricos pela Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações (UNINCOR), MG, Brasil. Graduação em Gestão Ambiental pela Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC), MG, Brasil.

Eliana Alcantra, UNINCOR

Doutorado, Mestrado e Graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), MG, Brasil.

Referências

BARRETO, D. Perfil do consumo residencial e usos finais da água. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 23-40, 2008.

BOTELHO, G. L. P. Avaliação do consumo de água em domicílios: fatores intervenientes e metodologia para setorização dos usos. 2013. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente, Águas e Saneamento) – Escola Politécnica, Universidade Federal da Bahia, 2013.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 12 ago. 2020.

BRASIL. Sistema nacional de informações sobre saneamento: diagnóstico dos serviços de água e esgotos. Brasília, DF: SNS/MDR, 2018. Disponível em: http://www.snis.gov.br/downloads/diagnosticos/ae/2018/Diagnostico_AE2018.pdf. Acesso em: 12 ago. 2020.

FRANCO, C. S. Caracterização gravimétrica dos resíduos sólidos domiciliares e percepção dos hábitos de descarte no sul de Minas Gerais. 2012. Dissertação (Mestrado em Recursos Hídricos em Sistemas Agrícolas) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.

GOMES, C. C. et al. Perfil de consumo de água pelos moradores do município Crato-CE. Ciência e Sustentabilidade, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 90-104, 2019.

GRAYLEY, Monica. Relatório da ONU revela que 2,1 bilhões não têm água potável em casa. ONU News, Nova Iorque, 2017. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2017/07/1590691-relatorio-da-onu-revela-que-21-bilhoes-nao-tem-agua-potavel-em-casa. Acesso em: 12 ago. 2020.

HUANG, C. et al. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavírus in Wuhan, China. Lancet, [S. l.], v. 395, n. 10223, p. 497-506, 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa nacional de saneamento básico 2000. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Diagnóstico dos resíduos sólidos urbanos. Brasília, DF: IPEA, 2012.

LI, Q. et al. Early transmission dynamics in Wuhan, China, of novel coronavírus-Infected pneumonia. New England Journal of Medicine, [S. l.], v. 382, n. 13, p. 1199-1207, 2020.

OZCAN, H. K. et al. Municipal solid waste characterization according to different income levels: a case study. Sustainability, [S. l.], v. 8, n. 10, p. 1044, 2016.

SILVA, R. C. P. Avaliação do modelo de gestão dos resíduos sólidos urbanos da cidade de Recife/PE e estudo dos indicadores gerenciais nos setores de coleta por meio de técnicas multivariadas. 2015. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Federal do Pernambuco, Recife, 2015.

SOUZA, Gláucia Cardoso de; GUADAGNIN, Mário Ricardo. Caracterização quantitativa e qualitativa dos resíduos sólidos domiciliares: o método de quarteamento na definição da composição gravimétrica em Cocal do Sul - SC. In: SEMINÁRIO REGIONAL SUL DE RESÍDUOS SÓLIDOS, 3., 2009, Caxias do Sul, RS. Anais [...]. Caxias do Sul, RS: ABES, 2009.

SUTHAR, S.; SINGH, P. Household solid waste generation and composition in different family size and socio-economic groups: a case study. Sustainable Cities and Society, [S. l.], v. 14, p. 56-63, 2015.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3. ed. Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental: UFMG, 2005.

WATER EUROPE. A water smart society for a successful post COVID19 recovery plan. [Bruxelas]: WE, 2020. Disponível em: https://watereurope.eu/wp-content/uploads/2020/04/A-Water-Smart-Society-for-a-post-covid19-recovery-plan.pdf. Acesso em: 12 ago. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHO coronavirus disease (COVID-19) dashboard: data last updated: 2020/4/30. [Genebra]: WHO, 2020a. Disponível em: https://covid19.who.int/. Acesso em: 12 ago. 2020.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Coronavirus disease (COVID-19) pandemic. [Genebra]: WHO, 2020b. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavírus-2019. Acesso em: 12 ago. 2020.
Publicado
2021-03-01