CORDIALIDADE BRASILEIRA: hábitos, práticas e coronavírus

Palavras-chave: Coronavírus, Cordialidade, Isolamento Social, Sociedade do Contato

Resumo

A partir da interpretação de categorias chave do Pensamento Social Brasileiro, como cordialidade, jeitinho e malandragem, este artigo pretende compreender o impacto do coronavírus e do isolamento social em uma sociedade do contado marcada pela mobilidade relacional. Como administrar a suspensão do contato presencial em uma sociedade onde ele desempenha papel primordial? A metodologia empregada foi a qualitativa, tendo sido feita uma pesquisa bibliográfica para levantamento das referências e o material foi lido com uma perspectiva crítico analítica.

Biografia do Autor

Marcia Teixeira Cavalcanti, USU

Doutora (2014) e Mestre (2002) em Ciência da Informação, pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), convênio Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (1991) e em Letras Português-Literatura pela Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá (UNESA) (2006). Professora do curso de Administração da Universidade Santa Úrsula (USU) onde é membro do Colegiado do Curso. Leciona nos cursos de Direito e Psicologia (USU).

Adriano Rosa da Silva, USU

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990). Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995). Doutor em Educação Física e Cultura na Universidade Gama Filho (2007). Pós Doutor em andamento no Laboratório de Práticas de Integralidade em Saúde do Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Coordenador e Professor permanente do Mestrado Profissional em Gestão do Trabalho para Qualidade do Ambiente Construído na Universidade Santa Úrsula.

Referências

BARBOSA, Lívia. O jeitinho brasileiro: a arte de ser mais igual que os outros. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a república que não foi. 3. ed. [São Paulo]: Companhia das Letras, 2016.

COMMUNITY MOBILITY REPORTS. Veja as mudanças no deslocamento da sua comunidade em função da COVID-19. [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.google.com/covid19/mobility/. Acesso em: 1 maio 2020.

DAMATTA, Roberto. O ofício de etnólogo, ou como ter “anthropological blues”. In: NUNES, Edson. A aventura sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. 6. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala. Rio de Janeiro: Jose Olympio, 1946.

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Novo corona vírus (COVID-19): troque o medo pelos cuidados. [Rio de Janeiro], 2020. Disponível em: https://coronavirus.rj.gov.br/. Acesso em: 29 abr. 2020.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1993.

MONTEIRO, Natália; AQUINO, Vanessa; PACHECO, Sílvia; SCENEIDERS, Luísa. Saúde anuncia orientações para evitar a disseminação do coronavírus. [Brasília, DF]: Agência Saúde: Ministério da Saúde, 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46540-saude-anuncia-orientacoes-para-evitar-a-disseminacao-do-coronavirus. Acesso: 25 abr. 2020.

QUEIROZ, Christina. Desafios do isolamento: necessária para desacelerar a propagação do vírus Sars-CoV-2, quarentena requer cuidados com a saúde mental da população. Pesquisa FAPESP, [S. l.], 2020. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/2020/04/06/desafios-do-isolamento/. Acesso em: 25 abr. 2020.

SAYURI, Juliana. Coronavírus: qual o impacto do isolamento nas sociedades mais 'abertas' do mundo. BBC News Brasil, Toyohashi, 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-52042839. Acesso em: 25 abr. 2020.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo: Duas Cidades, 1977.

SIMON, Guilherme. Infecção maior com reabertura do comércio é natural, diz prefeito de Blumenau sobre casos de Covid-19. NSC Total, [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.nsctotal.com.br/noticias/infeccao-maior-com-reabertura-do-comercio-e-natural-diz-prefeito-de-blumenau-sobre-casos. Acesso em: 1 maio 2020.

THOMSON, R. et al. Relational mobility predicts social behaviors in 39 countries and is tied to historical farming and threat. Proceedings of the National Academy of Sciences, [S. l.], v. 115, n. 29, p. 7521-7526, 2018. DOI 10.1073/pnas.1713191115. Disponível em: https://www.pnas.org/content/115/29/7521. Acesso em: 25 abr. 2020.

VALENTE, Jonas. Saiba tudo sobre o novo coronavírus e a doença que ele provoca: conheça os sintomas, as formas de transmissão e saiba como se prevenir. Agência Brasil, Brasília, DF, 2020. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-03/saiba-tudo-sobre-o-novo-coronavirus-e-covid-19. Acesso em: 25 abr. 2020.

VELHO, Gilberto. Observando o familiar. In: VELHO, Gilberto. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. 3. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.

YUKI, M.; SCHUG, J. Relational mobility: a socioecological approach to personal relationships. In: GILLATH, O.; ADAMS, G. E.; Kunkel, A. D. New directions in close relationships: integrating across disciplines and theoretical approaches. Washington: American Psychological Association, 2012. p. 137-151. Disponível em: https://eprints.lib.hokudai.ac.jp/dspace/handle/2115/52726. Acesso em: 25 abr. 2020.
Publicado
2020-06-03