REPRESENTAÇÕES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: SUSTENTABILIDADE NA ESCOLA

  • Alexandre de Jesus Pereira UNISUAM
  • Fabio Narduchi UNIGRANRIO
  • Eduardo Barbuto Bicalho Centro Cultural da Justiça Federal
  • Maria Geralda de Miranda UNISUAM
Palavras-chave: Meio ambiente, Educação básica, Educação ambiental

Resumo

O presente artigo traz um recorte da minha dissertação de mestrado intitulada Educação Ambiental e Ações de Sustentabilidade na Escola, pesquisa que teve como objetivo analisar as experiências no âmbito de uma horta escolar, utilizada como estratégia pedagógica e interdisciplinar para o aprendizado de questões ambientais. A referida pesquisa partiu do pressuposto de que a presença de uma horta escolar pode servir como estratégia para despertar o interesse em alunos e professores sobre questões relativas à educação ambiental (EA), além de possibilitar o desenvolvimento de diversas atividades pedagógicas relacionadas ao assunto. A pesquisa foi realizada na Escola Municipal Vereador Américo dos Santos, localizada na Cidade de Mesquita, na Baixada Fluminense - Rio de Janeiro. Surgiu, em 2015, com o objetivo de auxiliar a formação dos alunos e da comunidade escolar em relação à educação ambiental. O Projeto envolve professores e alunos da primeira e da segunda etapa do Ensino Fundamental. O projeto de construção da horta foi desenvolvido em parceria com professores e alunos do Ensino Fundamental, buscando uma proposta de ação coletiva e organizada, com aportes de diferentes saberes e fazeres, com vistas à conscientização de alunos e de professores para a preservação do meio ambiente e para o desenvolvimento sustentável. A horta escolar se insere, portanto, nesse contexto, como ferramenta para a escola, que está entre os agentes mais importantes no processo de conscientização.

Biografia do Autor

Alexandre de Jesus Pereira, UNISUAM

Possui graduação em Educação Física pelo Centro Universitário Augusto Motta(2012). Atualmente é Diretor Geral da Prefeitura Municipal de Mesquita.

Fabio Narduchi, UNIGRANRIO

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Humanidades, Culturas e Artes da Universidade do Grande Rio - UNIGRANRIO (Bolsista da Capes). Possui graduação (Licenciatura/Bacharelado) em Educação Física pela Universidade Estácio de Sá. Pós-graduado em Língua Portuguesa e em Supervisão e Orientação Educacional pela Universidade Cidade de São Paulo - UNICID. Atualmente, é docente das prefeituras de Nova Iguaçu e da cidade do Rio de Janeiro.

Eduardo Barbuto Bicalho, Centro Cultural da Justiça Federal

Graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007), Especialista em Direito Público pela Universidade Cândido Mendes (UCAM), Mestre em Direito pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), com foco em jurisdição, direitos humanos e políticas públicas. Atuou como bolsista de iniciação científica na Fundação Getúlio Vargas no período de 2003 a 2005. Atuou como advogado em empresas públicas e privadas na área consultiva, contratual e contenciosa. Atualmente é Chefe do Setor de Publicações do Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) e Editor-Gerente das revistas LexCult: Revista Eletrônica do CCJF e Auditorium: Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro.

Maria Geralda de Miranda, UNISUAM

Possui graduação em Letras Clássicas e Vernáculas e em Comunicação Social (Jornalismo). Especialista em Literaturas Vernáculas pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Mestre em Literatura Comparada com ênfase nos estudos culturais pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Doutorado em Letras com ênfase em estudos pós-coloniais, também pela UFF. É professora do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Local, do Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM, onde também e professora titular. Coordenou o Projeto & Implicações do Ambiente no processo de Ensino-Aprendizagem: Estudos sobre escolas Públicas do Complexo do Alemão, na Cidade do Rio de Janeiro, apoiado pelo OBEDUC/CAPES. Desenvolve estudos no âmbito da Educação ambiental e na relação entre educação, cultura, trabalho e desenvolvimento e também no âmbito das culturas africanas. Elabora metodologias visando à aplicação em Educação Ambiental. Fez pós-doutorado em Estudos de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa pela UFRJ, em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Rio de Janeiro, UERJ, e em Narrativas Visuais Pela Universidade Clássica de Lisboa.

Referências

ARRUDA, A. Ecologia e desenvolvimento: representações de especialistas em formação. . IN: SPINK, M.J. (org.). O conhecimento no cotidiano: As Representações sociais na perspectiva da Psicologia Social. São Paulo: Brasiliense, 1995. p. 235-265.

ARRUDA, A. O ambiente natural e seus habitantes no imaginário brasileiro. In ARRUDA, A. (org.) Representando a alteridade. Petrópolis/RJ: Vozes. 2. ed. 2002.164p.

JODELET, Denise. As representações Sociais. Rio de Janeiro: UERJ, 2001.

LEFÈVRE, F. e LEFÈVRE, A.M.C. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (desdobramentos). Caxias do Sul: EDUSC.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes. 2003. 40.
Publicado
2018-11-29