DISCURSOS, CONFLITOS E AUTOAFIRM ENTORNO DA INFÂNCIA E SUAS CORES

  • Caroline Delfino dos Santos

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar os discursos construídos por crianças
do pré-escolar em relação à temática da cor negra enquanto marca identitária. Embora
ainda pequenas, as crianças desde muito cedo vão elucidando, por meio de suas narrativas, o reconhecimento de seu pertencimento à população negra, autoafirmando-se
positivamente em relação à sua cor e raça. Embora venhamos de um contexto histórico-
-social marcado pelo estigma da opressão, discriminação racial e consequente desigualdades financeiras, a experiência de trabalho com a educação infantil vem revelando que
nossas crianças negras, ainda na primeira infância, já manifestam um posicionamento
crítico e político de enfrentamento às práticas de racismo que desqualificam seu povo. O
mesmo movimento de autoafirmação negra não foi identificado no trabalho com alunos
com mais anos de escolaridade, cuja faixa etária varia entre 9 e 14 anos. As observações
in lócus remetem-nos à seguinte questão: Os movimentos sociais negros, as legislações
vigentes a favor da diversidade, bem como as contribuições literárias que destacam
as culturas negras em contexto de protagonismo, vêm contribuindo para o processo
de autorreconhecimento e autoafirmação da criança pequena negra? Para subsidiar a
presente discussão, apoiamo-nos em documentos legislativos que se debruçam sobre
a questão identitária na educação infantil e ainda sobre estudos e experiências de trabalho que buscam trazer à tona a capacidade das crianças de compreenderem sobre si.
Cumpre sinalizar que os dados foram coletados por meio da observação participante,
tendo como enfoque características de uma pesquisa qualitativa.

Publicado
2020-07-21
Seção
Interdisciplinares