REFLEXÕES LEGAIS SOBRE IMPACTOS AMBIENTAIS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Ivo Arcaro de Sousa Universidade Federal de Sergipe
  • Maria José Nascimento Soares Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Resumo

A indústria da construção civil é um importante setor para o desenvolvimento econômico e social, pois está diretamente associada à geração de emprego e renda, além de promover melhoria no cenário urbano mediante a implementação de diversos tipos de empreendimentos. Contudo, é preciso que a construção civil atente para que a dimensão ambiental seja inserida no planejamento e execução dessas atividades, evitando impactos negativos ao meio ambiente e à sociedade. Para tanto, faz-se necessário que as indústrias atendam as normas vigentes sobre os aspectos ambientais de cada atividade, no tocante à gestão ambiental e às condições do meio ambiente na indústria da construção civil, que são balizadoras para uma construção sustentável. Esse estudo parte do pressuposto de que os empresários e os trabalhadores do setor da construção civil são agentes ativos nas condições encontradas nos locais de trabalho por meio do descumprimento dos requisitos exigidos pelas normas. Nesse sentido, o objetivo desse artigo é descrever aspectos relativos às empresas da construção civil quanto a sua política interna em manter o meio ambiente salubre ancorado nas legislações em vigor. O presente artigo foi ancorado em revisões bibliográficas acerca do tema principal e na legislação vigente que normatiza a Construção Civil e o Meio Ambiente. Concluindo, por hora, que é necessário que todos os setores responsáveis pela implementação das leis e os gestores das empresas consigam fazer um trabalho coletivo e aliem seus objetivos.

Biografia do Autor

Ivo Arcaro de Sousa, Universidade Federal de Sergipe

Mestrando do Programa de Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe (UFS). PRODEMA (UFS), São Cristóvão, SE, Brasil. Bolsista FAPITEC/SE.

Maria José Nascimento Soares, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN, Brasil. Coordenadora e Orientadora no PRODEMA (UFS), São Cristóvão, SE, Brasil.

Publicado
2018-12-19
Seção
ARTIGOS