IMPACTO DAS COMUNIDADES DE POBREZA RELATIVA NOS MANGUEZAIS: TRABALHADORES DA PESCA ARTESANAL INVISÍVEIS

  • José Teixeira de Seixas Filho UNISUAM
  • Sílvia Conceição Reis Pereira Mello UNISUAM / Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro
  • Rafael Antunes da Silva Faculdade de Enfermagem Bezerra de Araújo
  • André Luiz Reis Gracio Faculdade de Enfermagem Bezerra de Araújo

Resumo

O presente trabalho teve por objetivo avaliar a relação do homem com o manguezal, sendo esta muito antiga. Um dos principais problemas causados pelas ações antrópicas sobre os manguezais é justamente o desmatamento. Pelo ponto de vista socioambiental algumas comunidades ribeirinhas mantêm relação de grande dependência com os recursos oferecidos pelos manguezais. Os pescadores artesanais e, sobretudo, pescadoras no trabalho de extração de mariscos, são sujeitos invisíveis pela situação de negligência e desamparo institucional. Estas categorias profissionais que sobrevivem há milênios ainda não conquistaram o direito efetivo à saúde, em especial à saúde do trabalhador. Torna-se urgente a melhoria das condições de trabalho dessa população que realiza extensa jornada de trabalho com a realização repetitiva de intensos esforços físicos associados a precariedade econômica, devido a uma relação comercial injusta que são submetidos com a figura do intermediário que se apropriam da maior parte do fruto do seu trabalho, sem que haja uma reação do poder público no planejamento de estratégias que protejam, efetiva e definitivamente, essa classe de trabalhadores.

Publicado
2018-12-06